Falar de Algarve no Brasil é perder dinheiro

Presidente da MCF pede atenção à promoção lusa

As inquietações de Carlos Ferreirinha, presidente da brasileira MCF, agitaram o 38.º Congresso da APAVT no fecho do segundo dia de trabalhos. O consultor de viagens recomendou visão às autoridades portuguesas com responsabilidades na promoção, de modo a que a mesma esteja adequada a cada mercado.

No seu entender, "falar de Algarve no Brasil é perder dinheiro". Simplesmente porque o que não falta no Brasil é costa e praias. E se a opção for pelo golfe, agora que Portugal é o melhor destino de golfe da Europa, há uma outra certeza: " o brasileiro não joga golfe".

Para Carlos Ferreirinha, Portugal deve ser ambicioso e não contentar-se em conquistar meia dúzia de turistas quando pode atrair meio milhão. Até porque tem todas as condições para tal mesmo que alguns cépticos insistam na tese que para o brasileiro Portugal não passa de um 'hub'.

Quanto às opções estratégicas do Turismo de Portugal, que vai manter o foco promocional na Europa, mas virado para o consumidor final, Ferreirinha lembrou apenas que não há renovação de consumidores europeus, logo os que existem, estão habituados a campanhas massificadas.

+A A -A