80% das reservas TAP via agentes de viagem são canceladas

Vice-presidente da TAP lamenta custos e aponta a Internet como solução

O vice-presidente da TAP, Luíz Gama-Mór, disse hoje acreditar que as vendas da companhia aérea pela internet vão continuar a crescer, estimando que nos próximos dois anos passem a representar 30% do negócio total da empresa. Actualmente, a venda directa de bilhetes de avião pela internet da transportadora - que está em processo de privatização - tem um peso de 14% do global.

No futuro, "vai haver um maior volume de vendas na internet. Ainda temos muitos países em que as vendas por este canal são baixas e que têm um grande potencial de crescimento", disse o responsável aos jornalistas, à margem do 30.º Congresso da Associação das Agências de Viagens e Turismo (APAVT), que decorre em Coimbra.

Luíz Gama-Mór exemplicou com o Brasil. "Como entrámos mais tarde [através da internet] neste mercado, estamos a crescer 90%, já que a penetração da internet é muito baixa ainda", afirmou.

Actualmente, 80% das vendas da TAP, no global dos mercados, é efetuada através das agências de viagens e 20% através dos canais diretos (internet e telefone). Só analisando o mercado português, 70% dos bilhetes de avião da TAP são adquiridos pelas agências de viagens e 30% pela internet e telefone.

A utilização de canais diretos pelos consumidores representa, em regra geral, menores custos para as empresas. No caso da TAP, de acordo com o vice-presidente da companhia, "vender pela internet é seis vezes mais barato". Até porque 80% das reservas feitas via agentes de viagem são canceladas. Luís Mór explicou que por cada cancelamento a companhia área nacional tem "um custo enorme", uma vez que por cada uma tem de assumir um custo de 0,34 euros.

+A A -A