Grupo Porto Bay cresce 3,5%

Receitas líquidas do grupo hoteleiro ascenderam a 61,3 milhões de euros em 2012
Photo: Teresa Gonçalves
Taxa de ocupação foi de 88%

O grupo hoteleiro Porto Bay, que tem na Madeira a sua génese, obteve em 2012 receitas líquidas que ascenderam a 3,5% às registadas no ano anterior, totalizando assim 61,3 milhões de euros. A grande maioria dessas receitas foram alcançadas na Madeira, onde fruto de uma taxa de ocupação de 88% (entre Maio e Outubro situou-se nos 95%) obteve 36,3 milhões de euros, ou seja 59% do total.

Brasil e Algarve são os outros dois mercados do grupo, onde também obteve receitas crescentes nos últimos três anos, sendo que em 2012 ascenderam a 17,1 e 7,9 milhões de euros, respectivamente, sendo que os três hotéis no Rio de Janeiro, São Paulo e Búzios fecharam o ano com uma taxa de ocupação média de 81%, enquanto no Algarve foi de 60%, embora no Verão tenha chegado aos 92,4%.

Os resultados do Grupo Porto Bay foram apresentados esta tarde no The Cliff Bay, no Funchal, numa conferência de imprensa em que o presidente do Conselho de Administração, António Trindade, destacou a importância que a hotelaria tem na “exportação cá dentro”. No caso, 97% dos hóspedes dos hotéis do grupo são clientes não residentes em Portugal, o que implica que as vendas cá efectuadas resultaram em receitas que ficaram em Portugal.

António Trindade deu o exemplo do IVA liquidado pelo grupo em Portugal, que em 2011 ascendera a 4,3 milhões de euros (1,8 milhões de taxa reduzida e 1,4 milhões de taxa normal), tendo aumentado 51% para 6,5 milhões de euros em 2012 (1,6 milhões de taxa reduzida e 4,9 milhões de taxa normal), fruto do aumento da taxa de IVA em Portugal, mas sobretudo na Madeira, cuja taxa normal passou de 16 para 22%.

Leia mais na edição impressa de amanhã do DIÁRIO

+A A -A