Eduardo Jesus reforça comunicação com governo inglês

Em causa está a situação epidemiológica em Portugal continental que pode pôr em risco o entendimento entre a Madeira e a Inglaterra no que dis respeito aos corredores aéreos

O Secretário Regional de Turismo e Cultura referiu hoje que a Madeira reforçou a comunicação junto do Ministério dos Negócios Estrangeiros, da Secretaria de Estado do Turismo, do governo inglês e das embaixadas em Portugal e na Inglaterra, para “clarificar a situação epidemiológica da Região Autónoma da Madeira”.

A medida surge numa altura em que a situação epidemiológica verificada em Portugal continental pode “pôr em risco” o entendimento do governo inglês em relação à Madeira.

Eduardo Jesus diz que “é da mais elementar justiça que se faça esta distinção” entre o continente e a Madeira, recordando que a Região tem sido penalizada pelo facto de o governo português não distinguir a nossa realidade face à de Portugal continental. “Ficámos reféns da situação nacional durante um largo período e só vimos os corredores abertos quando assim foi entendido para Portugal continental”, salientou o governante madeirense, frisando que tal situação “prejudica-nos e significa uma profunda injustiça que não queremos que aconteça”.

Por isso, a Madeira aposta numa “forte vaga de comunicação junto de todos estes intervenientes” para informar qual a situação da Madeira e mostrar que é bem diferente da que se verifica a nível nacional.

Para Eduardo Jesus, a operação com o mercado inglês “não apresenta riscos acrescidos para os cidadãos ingleses”, já que são voos directos conseguidos através da Easyjet, British Airways e Jet2.

É, por isso, uma “operação bastante controlada sob o ponto de vista da segurança sanitária”, adianta o governante, esperando que as decisões que o governo inglês possa tomar já esta semana sobre esta matéria, “tenha em consideração a nossa situação regional”.

“Achamos que não é difícil de o fazer, já que as evidências são objectivas, tiradas pela ciência, e os indicadores que apontam que a Madeira está bem são os mesmos indicadores apurados pelo governo inglês relativamente a todos os destinos”, adianta Eduardo Jesus, relembrando que a Madeira “não pode ficar refém de uma evolução menos favorável do todo nacional” nem “entrar numa fase de grande prejuízo da actividade económica”.

 

+A A -A

Os mais...