Congresso da APAVT na Madeira já tem mais de 700 inscritos

A 45.ª edição do Congresso APAVT que decorre entre 14 a 17 de Novembro no Funchal conta já com mais de 700 inscritos, mais 200 do que o previsto no ano anterior.

Confirmam-se assim as expectativas do presidente da APAVT que, em Julho, admitiu que o congresso de 2019 poderia bater recordes de participação.  Em ‘ano de ir à Madeira’, Pedro Costa Ferreira assumia que a Região é “perfeita para acolher um congresso da APAVT em Portugal”. Por diversas razões, entre as quais destaca os “números expressivos da actividade turística da região, pelo seu peso no PIB da Madeira e pela importância do mercado interno para a construção desses mesmos números”. 

Entre os participantes do congresso estão agentes de viagens, operadores turísticos e outros 'players' do sector do turismo. Profissionais que vão debtaer “Turismo: Opções Estratégicas”, tema central que irá contar com o contributo de mais de 10 oradores.

Estes oradores irão partilhar, junto dos restantes participantes, as suas experiências, conselhos e ideias sobre temas como o Brexit, a falência de diversas companhias aéreas europeias e a problemática do “Aeroporto da Madeira”.

O evento ocorre em circunstâncias especiais para o destino. O presidente da APAVT, Pedro Costa Ferreira, já assumiu por diversas vezes que a Região atravessa “desafios de enorme dimensão e complexidade”, com destaque para a desvalorização já da Libra, e um Brexit que, mais do que nunca, “teima em apresentar-se na sua versão “não organizada“, colocam óbvios problemas à relação com um dos mercados emissores mais importantes, o britânico”. Mas também “a falência de várias companhias aéreas, vem perturbar o diálogo com várias rotas aéreas, colocando uma série de cidades europeias sem voo directo para o Funchal” e também “problemas de  inoperacionalidade no aeroporto têm o duplo efeito negativo de prejudicar as actuais operações, bem como colocar novos entraves à substituição das rotas perdidas pelas falências das companhias aéreas”.

Mas também há “uma série de desafios tremendos”, ligados às questões aeroportuárias. “Não é só o aeroporto de Lisboa. O do Funchal tem particularidades difíceis de vencer, o do Algarve tem especificidades que também temos que encontrar soluções e nos Açores também temos uma realidade de transporte aéreo que não é a oitava maravilha do mundo, embora a região dos Açores o seja”, afirmou.

Antes do congresso já se registaram três momentos ligados ao evento. Casos da apresentação formal que ocorreu a 18 de Setembro no novo Savoy, o palco do evento, em cerimónia que ocorreu em plena campanha eleitoral presidida pela Presidente da Direção da Associação de Promoção da Madeira, Paula Cabaço e pelo Presidente da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo, Pedro Costa Ferreira.

Antes em Maio, no Funchal, foi anunciada a escolha da Madeira para ser pela quinta vez a anfitriã da reunião magna dos agentes de viagens. Em Julho, em Lisboa, houve um segundo momento de apresentação, com a definição do tema do congresso que traz à Madeira o professor da Nova School of Business and Economics, Daniel Traça, que fará uma reflexão sobre os desafios macro-económicos dos próximos anos; Augusto Mateus, do gabinete da EY e Augusto Mateus e Associados, que está a trabalhar num estudo sobre a nova abordagem estratégica do turismo em Portugal e que servirá de base à discussão do tema central do congresso; e de Johnson Semedo, da Academia Johnson, entre outros. (ver programa em anexo).

A Madeira tem histórico na relação com a APAVT. Em termos de congressos,  recebeu a 3.ª edição  há 42 anos (1977) subordinada ao tema “Turismo: Factor de Desenvolvimento”. Vinte anos depois, em 1997, acolheu a 23.ª edição sob o lema ‘Decidir pelo Turismo’. Na 28.ª edição, em 2002, debateu a temática ‘Turismo: Os Desafios da Mudança’ e em 2010, aquando a 36.ª edição abordou o ‘Turismo: Liderança na Recuperação’, na altura num gesto de solidariedade para com a Região que sofrera com a intempérie de 20 de Fevereiro.

Para além dos congressos, a relação da associação dos agentes de viagens e turismo com a Região tem sido profícua noutros domínios. A APAVT destaca a excelência da parceria que mantém com o destino, realçando “os amigos certos, a Associação de Promoção da Madeira”. “Temos feito nos últimos anos um trabalho notável, temos dinamizado o mercado interno de uma maneira que os números não conseguem desmentir e estamos muito satisfeitos por em cima de todo esse trabalho podermos com os nossos amigos poder fazer este congresso na Madeira” e desta forma tentar alavancar ainda mais o destino. Admite que o Turismo nacional vive “uma atmosfera de final de ciclo”, que o sector tem ”um problema de recursos humanos” e “de qualidade de serviço” nalgumas actividades turísticas.

Sublinhou também a excelência da parceria que mantém com o destino, realçando “os amigos certos, a Associação de Promoção da Madeira”. “Temos feito nos últimos anos um trabalho notável, temos dinamizado o mercado interno de uma maneira que os números não conseguem desmentir e estamos muito satisfeitos por em cima de todo esse trabalho podermos com os nossos amigos poder fazer este congresso na Madeira” e desta forma tentar alavancar ainda mais o destino. Admite que o Turismo nacional vive “uma atmosfera de final de ciclo”, que o sector tem ”um problema de recursos humanos” e “de qualidade de serviço” nalgumas actividades turísticas.