Insolvência da Thomas Cook deve ser confirmada esta segunda-feira

Foto REUTERS/Paul Hanna/Arquivo
A mais antiga operadora turística do mundo deverá representar um rombo incalculável também na Madeira

As negociações de última hora que duraram várias horas durante este domingo, mas tudo indica sem resultados para salvar da falência a mais antiga operadora turística do mundo, a Thomas Cook, que deverá passar a ser gerida por um administrador de insolvência.

Segundo noticiou esta noite a ITV News, a empresa de viagens deverá anunciar a sua insolvência nas primeiras horas de segunda-feira, logo pela manhã, colocando em risco os postos de trabalho de cerca de 9 mil pessoas e deixando 150 mil turistas fora do país, o Reino Unido.

Segundo a notícia, a empresa criada há 178 anos não conseguiu junto dos credores os cerca de 200 milhões de libras (226,2 milhões de euros) para salvar o negócio, com os principais responsáveis em reuniões de última hora que não surtiram o efeito desejado.

Assim, deverá ser acionado "o Projeto Matterhorn - o plano do governo de repatriar 150.000 turistas retidos no exterior", noticia um jornalista especialista em aviação. Joel Hills salienta que a Thomas Cook deverá parar imediatamente de operar.

Peter Fankhauser, presidente-executivo da companhia, não comentou o que foi discutido nas longas horas de reunião num escritório de advogados no centro de Londres, a Latham & Watkins.

O secretário de Relações Exteriores do governo britânico, Dominic Raab, assegurou à BBC que o plano de contingência iria garantir que "ninguém ficará preso" e inclui acordos com companhias como a EasyJet, a TUI, a Jet 2 e a Virgin para que deixem espaço livre para, lentamente, levar os clientes de volta a casa., operação que deverá demorar várias semanas e deverá custar aos cofres britânicos cerca de 100 milhões de libras, ou seja mais de 113 milhões de euros.

A Thomas Cook é uma das principais operadoras na Madeira, da qual dependem voos de vários destinos. Esta segunda-feira está preevista a chegada de um voo de Copenhaga, Dinamarca. Quanto a voos das outras companhias envolvidas na operação de resgate, esta segunda-feira estão previstas as cehgadas de pelo menos 16 voos da EasyJet, TUI e Jet 2.

+A A -A