Bordado é estrela no penúltimo dia de BTL

O stand da Madeira na BTL continua a dar nas vistas, com muitos olhos virados neste penúltimo dia de feira para o bordado feito à mão e ao vivo.

Até a dupla de descobridores que todos os dias faz um sketch teatral ausivo à descoberta das ilhas ensaiou dar uns pontos no workshop sobre o bordado.

Para além das tradicionais degustações, a componente didáctica tem sido uma constante no stand madeirense com notas explicativas ora sobre o Vinho, ora sobre Rum, a que se juntam explicações alusivas ao artesanato, à doçaria regional, à fruta e aos cereais.

Até amanhã, na FIL,  as entidades com responsabilidade na promoção do destino vão enfatizar os 600 anos da chegada dos portugueses ao arquipélago e na tradição secular ligada ao turismo e à hospitalidade.  Como? Fomentando a interactividade com o público, dando palco, ao longo do dia, aos produtos regionais, desta feita em directa alusão aos ciclos dos Cereais, do Açúcar, do Vinho e do Turismo.

Paralelamente, o stand madeirense promove a apresentação de um filme, onde se começa por fazer uma incursão pela história madeirense, desde o tempo dos primeiros navegadores até aos dias de hoje.

Desde quarta-feira foram ainda estabelecidas várias referências a alguns dos episódios que fazem parte das origens madeirenses, nomeadamente a associação dos cereais à nossa gastronomia e tecelagem, as potencialidades da cana de açúcar, a primeira vinha Malvasia plantada na ilha, as exportações, o desenvolvimento do turismo e, naturalmente, os ilustres visitantes que já pisaram a ilha, como Bernard Shaw, Winston Churchill, Amy Johnson e a Imperatriz Sissi, entre outros.

+A A -A