Deficientes motores ganham novo meio que permite serem guias turísticos

Uma empresa apresentou hoje na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL) um protótipo de uma solução para que as cadeiras de rodas possam ser acopladas às bicicletas elétricas para permitir aos deficientes motores serem guias turísticos nas cidades.

A iniciativa, que tem como parceiro o Turismo de Portugal, demorou um ano e meio a ser concretizada no protótipo hoje apresentado nas ruas do Parque das Nações, em Lisboa.

“A ideia é que este projeto possa ser utilizado por outras entidades ou turismo, cederemos a ideia, dando os direitos sobre a ideia para que outras entidades a possam desenvolver”, explicou o responsável da FCB, Edson Athayde, em declarações à agência Lusa.

De acordo com Edson Athayde, a apresentação do projeto conclui a primeira fase do trabalho, à qual se seguirá a elaboração de um “manual de utilização” que será disponibilizado às entidades que mostrarem interesse em aplicar o projeto.

“[O projeto] é o somatório de uma bicicleta, uma peça e a cadeira de rodas. A peça liga a bicicleta normal a uma cadeira de rodas normal, pode ser quase com qualquer bicicleta e quase qualquer cadeira”, clarificou o responsável.

De acordo com a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, este é um projeto que permite “colocar o turismo acessível no mapa e no foco dos empresários para acelerarem a mudança”.

“Este projeto é interessante por isso, porque com isto vamos conseguir dar visibilidade, mostrar que uma pessoa com mobilidade reduzida consegue ser guia turístico numa cadeira de rodas acoplada a uma bicicleta, o que permite de alguma forma mostrar um destino turístico”, afirmou a secretária de Estado, em declarações à agência Lusa.

Segundo a governante, este projeto “liga aos temas da sustentabilidade” e vai permitir a Portugal “posicionar-se com soluções inovadoras”.

+A A -A