Observatório de Turismo permite ao Algarve “passo importante na sustentabilidade”

A Região de Turismo do Algarve (RTA) lançou esta quinta-feira o Observatório para o Turismo Sustentável, com o objetivo de estudar, analisar e monitorizar o setor na região nas áreas da sustentabilidade económica, social e ambiental.

Esta iniciativa da RTA, em parceria com a Universidade do Algarve e a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve (CCDR Algarve), é “um passo importante na sustentabilidade do destino”, indicou o presidente da RTA, João Fernandes, durante o lançamento da iniciativa, na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), a decorrer na FIL, no Parque das Nações.

João Fernandes, que ambiciona tornar o observatório “num local para investigação”, destaca que “marcar uma posição pioneira no contexto das regiões turísticas portuguesas e até no panorama nacional” é um aspeto que pretende melhorar.

“Queremos que o observatório venha a ser reconhecido pela Organização Mundial do Turismo” para que integre a Rede Internacional de Observatórios para o Turismo Sustentável, salientou.

Na ocasião, o presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, sublinhou que quando a “Estratégia Turismo 2027” foi lançada, a “sustentabilidade foi colocada em primeiro lugar”, tendo em conta que “um destino de excelência tem de ser um destino sustentável”.

“Sermos o país com maior número de observatórios para o turismo na europa contribui para que Portugal se torne líder internacional em matéria de sustentabilidade”, destacou.

Os estudos que se irão realizar no Observatório estarão a cargo da Universidade do Algarve e cabe à CCDR Algarve o acompanhamento técnico e suporte institucional, de forma a monitorizar a “Estratégia Turismo 2027” em matéria de sustentabilidade.

O presidente da CCDR Algarve, Francisco Serra, salientou hoje na BTL que esta atividade “constitui um pilar fundamental da economia regional”.

Francisco Serra sublinha o papel importante da Comissão a que preside no sentido de acompanhamento neste projeto, o que contribui para o desenvolvimento do território e do conhecimento.

Já o reitor da Universidade do Algarve, Paulo Águas, defendeu que “a boa política pública não se faz sem conhecimento”, sublinhando que será através do observatório que a região vai “adquirir conhecimento para ser mais competitiva e nesse intuito é preciso ser-se mais sustentável”.

“O turismo, como fenómeno de grande importância para a sociedade, merece este projeto”, indicou.

A secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, encerrou a sessão de lançamento de forma otimista, destacando que “se Portugal há um ano foi eleito o destino mais sustentável da Europa sem o observatório, então para o ano o passo é o mundo”.

“A oferta hoje de 60% em recursos sustentáveis em Portugal é insuficiente e o observatório tem de ser um estímulo para o aceleramento da mudança, de forma a cumprirmos o objetivo de 90% para 2027”, afirmou.

 

+A A -A

Os mais...