Portugal lança campanha de promoção no turística no Reino Unido

O ministro da Economia disse ontem que na próxima semana Portugal lança uma campanha de promoção no turística no Reino Unido e que se trabalha para que este mercado veja o país como o destino europeu "mais amigável".

"O mercado britânico é muito significativo para Portugal. É o mercado que mais turistas gera para o nosso país, com uma presença particular muito significativa no Algarve e na Madeira e, por isso, estamos ao mesmo tempo a fazer uma campanha intensa de promoção de Portugal - estamos a contactar os operadores turísticos e as agências de viagens dando conta das condições que temos - e vamos na próxima semana lançar uma campanha dirigida ao mercado do Reino Unido para mostrar aquilo que Portugal tem para oferecer", disse.

Pedro Siza Vieira falava aos jornalistas na inauguração da BTL - Bolsa de Turismo de Lisboa, antes da votação em que os deputados britânicos rejeitaram qualquer possibilidade de saída da União Europeia sem acordo.

Além disso, acrescentou, Portugal está "a tentar assegurar que a experiência do turista britânico seja a mais normal possível".

"Vamos acolher os turistas sem necessidade de vistos de entrada, vamos manter canais abertos nos aeroportos para que possam seguir sem interrupções, vamos manter o acesso aos canais eletrónicos de passaportes também disponíveis para os turistas que venham apenas para Portugal, vamos continuar a proporcionar o acesso ao Serviço Nacional de Saúde e ao transporte de animais de companhia. Tudo será criado para que os turistas do Reino Unido não sintam, apesar da saída do Reino Unido da União Europeia ['Brexit], qualquer alteração na experiência que tenham em Portugal", lembrou o ministro.

Pedro Siza Vieira garantiu que o objetivo da criação destas medidas é o de ir até mais longe.

"Pelo contrário", queremos que se sintam ainda mais bem acolhidos e queremos que percebam que Portugal é dentro da Europa o destino mais amigável", reforçou o ministro.

"As alterações das circunstâncias podem ter algum impacto" no número de turistas britânicos que nos visitam, mas "o esforço de promoção e a simplificação administrativa visam mitigar esse impacto", admitiu o governante.

"Também temos, apesar de tudo, boas notícias. Conseguimos repor a capacidade aérea no aeroporto de Faro - depois das falências de algumas companhias aéreas no ano anterior e nestes dois últimos meses, janeiro e fevereiro, a chegada de britânicos aos aeroportos nacionais ultrapassou os 16% [de crescimento] face ao período homólogo do ano anterior. Isso significa que os britânicos retomaram o nível de crescimento que se tinha deteriorado um pouco. Vamos esperar com confiança a ver qual será o impacto destes efeitos", disse ainda.

O parlamento britânico rejeitou hoje uma saída do Reino Unido da União Europeia sem um acordo, em qualquer circunstância, com a estreita margem de apenas quatro votos, com 312 a favor da proposta e 308 contra.

Esta moção, não vinculativa, foi apresentada pela trabalhista Yvette Cooper, enquanto o Governo apresentou uma moção que apenas rejeitava a saída sem acordo em 29 de março.

Na quinta-feira a Câmara dos Comuns deverá votar um pedido à UE de prorrogação do processo do ‘Brexit' para depois de 29 de março.

O texto foi apresentado após o parlamento britânico ter chumbado na terça-feira, pela segunda vez depois de uma votação em janeiro, o Acordo de Saída do Reino Unido da União Europeia (UE), desta vez com 391 votos contra e 242 a favor, uma margem de 149 votos, incluindo 75 de deputados conservadores.

+A A -A