Promoção leva corte

Região tem menos 300 mil euros para mediatizar destino
António Trindade estranha redução de verbas e critica opção do Governo Regional

 

O Turismo de Portugal vai reduzir, no próximo ano, as transferências de verbas para a Associação de Promoção da Madeira em 7%. O mesmo acontecerá em relação às quotas dos sócios Governo Regional e dos outros empresários que integram este organismo de promoção. Em termos financeiros esta redução representará um corte de cerca de 300 mil euros comparativamente às verbas concedidas este ano. "A redução que haverá relativamente ao ano anterior e as quotas dos sócios, quer seja o Governo Regional, quer sejam os privados, reduzem 7%", adiantou ontem ao DIÁRIO o presidente da direcção da Associação de Promoção da Madeira - AP Madeira, pós uma reunião de associados realizada no Hotel The Wine de manhã.

Verba de 3,5 milhões
Bruno Freitas refere que o Governo Regional "tem uma verba inscrita no orçamento regional de 3,5 milhões de euros para os mercados tradicionais, mas ainda não foi aprovado nesta assembleia porque não está definido o valor a ser celebrado no contrato-programa". Apesar de ainda não ter sido definido o valor a conceder à AP Madeira, Bruno Freitas diz que o Governo Regional "terá em linha de conta o peso e a importância do turismo e a sua promoção nos mercados ditos tradicionais".

Esta redução de 7% das verbas e do valor das quotas a pagar, explica Bruno Freitas, resulta de uma "imposição do Turismo de Portugal. E, proporcionalmente, todos os outros associados têm de acompanhar na mesma proporção".

Bruno Freitas reconhece que este corte de verbas pode afectar a promoção, no entanto, sublinha que "o Governo Regional reforçou o orçamento a nível da promoção, que é para colmatar esse papel na área da promoção".

O actual modelo de promoção, diz Bruno Freitas, "não foi definido pelo Governo Regional, mas sim pelo Governo da República, e nós, mesmo estamos conscientes que este modelo não é o ideal, temos esse reforço promocional". Bruno Freitas vai mais longe e diz mesmo que, na sua opinião, o "modelo ideal de promoção é um modelo promovido por uma só entidade".

Trindado critica redução
Esta redução de verbas da AP Madeira, na opinião do administrador do Grupo Porto Bay, António Trindade, vem revelar que a principal instituição de promoção da Região vai receber "uma comparticipação do Governo reduzida". No entender do António Trindade a promoção deveria ser realizada por uma entidade e não por duas, como acontece actualmente.

O administrador do Grupo Porto Bay afirma não compreender como é que numa altura em que se verifica redução de mercado e de ocupação se reduzam as verbas para a promoção no orçamento regional. Isto, diz, "significa que a Direcção Regional do Turismo vai ter um reforço de verbas para mercados que são prioritários e a AP Madeira vai ter uma redução", o que é negativo.

+A A -A