ACIF-CCIM apela ao consenso entre as partes para que a greve da TAP seja rapidamente desconvocada

E critica a decisão de suspender a linha aérea diária da TAP entre Londres e Funchal
Foto: Arquivo

A ACIF-CCIM, tendo tomado conhecimento da greve da TAP para os dias 27, 28, 29 e 30 de Dezembro, emitiu um comunicado sobre "os impactos assaz negativos que da mesma poderão advir para o Turismo e Economia da Região Autónoma da Madeira" e apela "fortemente, ao consenso entre as partes envolvidas, nomeadamente, o Ministério da Economia e os sindicatos da TAP, para que a greve seja desconvocada".

"O Turismo é a principal actividade económica desta Região. Acresce que o período para a qual está convocada a greve é o maior em termos de afluxo de turistas nacionais e internacionais a esta Região, para poderem desfrutar da quadra festiva e, sobretudo, do espetáculo pirotécnico único do final de ano", adianta.

Assim, esta greve poderá "pôr em causa a chegada de largos milhares de turistas a esta Região, perdendo os turistas, as agências de viagens, as unidades hoteleiras, os restaurantes e demais empresas associadas à atividade turística, os seus empregados, bem como, a própria TAP e os seus colaboradores".

"Não nos parece que esta greve possa interessar a alguém e, certamente, imporá um duro revés a um sector que está a recuperar e a contribuir para o crescimento económico desta Região, maculando, indelevelmente, o nosso Destino Turístico junto dos principais mercados emissores", garante a ACIF-CCIM.

"Espera a ACIF-CCIM que o consenso seja obtido prontamente e, por conseguinte, a greve desconvocada, pois, enquanto perdurar o espectro da greve, é evidente que tal levará a que os turistas que já tinham reservado bilhetes aéreos para a Madeira equacionem o seu cancelamento, bem como, a não reserva daqueles que ainda não o tinham feito mas que ponderavam fazê-lo, com todas as repercussões penalizadoras supra descritas para esta Região", adianta.

Aproveita a ACIF para informar que enviou, hoje, uma missiva ao Ministro da Economia, "alertando para os potenciais efeitos devastadores para o Turismo e Economia da Região associados a esta greve e, paralelamente, apelará para que seja revertida a anunciada decisão de suspender a ligação diária aérea da TAP entre Funchal e Londres".

"Com efeito, apesar da ACIF-CCIM reconhecer, penhoradamente, o relevante papel que a TAP tem tido para o Turismo desta Região, é inaceitável que aquela ligação aérea venha a ser suspensa, tendo como motivo a sua alegada reduzida rendibilidade. Tal deve-se apenas, conforme sucessivamente foi a TAP alertada, ao madrugador e incompreensível horário do voo da TAP de Londres para a Madeira. Basta atender ao número cada vez maior de companhias aéreas na linha em apreço, ao aumento de voos semanais e ao excelente load-factor apresentado pelas demais companhias aéreas, para concluir da falácia do argumento apresentado para suspender a dita linha. Argumento que deveria servir, simplesmente, para alterar o horário do voo", conclui.

+A A -A