'Four Views Formosa' aposta na qualidade e experiências diversificadas

 

Conforme avançou o DIÁRIO, e de acordo com uma resolução publicada ontem no Jornal Oficial da Região, o executivo autorizou o empresário madeirense António Nóbrega a edificar um hotel nas antigas instalações da ILMA (Indústria de Laticínios da Madeira).

Num comunicado hoje dirigidonà imprensa, o hoteleiro explica o 'Four Views Formosa' pretende priviligiar a qualidade da experiência oferecida ao hóspede.

"Pretende-se que esta Unidade seja um reflexo da estratégia do Grupo, que passa por oferecer qualidade ao invés de quantidade, com níveis acrescidos de conforto e comodidade, proporcionando ao hóspede um serviço mais personalizado e dedicado.

 Esta unidade servirá como ‘benchmark’ do que será o futuro do Grupo Four Views, oferecendo para além de alojamento e restauração, serviços de interacção com os clientes, através da promoção de workshops de culinária regional, artesanato, artes e música. A intenção é fazer o cliente sentir-se não como um hóspede, mas como parte integrante do que o rodeia na sua estadia", realça António Nóbrega. Este novo empreendimento de apenas 128 quartos, em 10.000m2 de terreno, tem como objectivo proporcionar aos hospedes um nível de conforto acrescido, com zonas comuns amplas e em estreita ligação com a paisagem e quartos que vão de 60m2 a 90m2, acrescidos de varandas, e virados exclusivamente ao mar e à paisagem.  A envolvente exterior do hotel é constituída por espaços verdes arborizados (alguns já existentes) em 80% da sua periferia. Para além disso, foi criado um jardim central com carácter subtropical, rodeado pelas áreas sociais do Hotel, gerando um logradouro aprazível e tendencialmente mais sossegado que o espaço envolvente da piscina, permitindo assim propiciar diferentes ambientes de convívio ao cliente.  A Unidade Hoteleira utilizará ainda os meios mais sofisticados para a promoção da sua sustentabilidade ambiental, tanto na gestão de energia como na concepção e no funcionamento “natural” dos seus sistemas de serviço. "Acreditamos que este é o caminho de qualificação da oferta turística que deve ser percorrido na RAM", reitera o dirigente do Grupo Nóbrega. Na mesma nota o empresário ressalva que a intenção inicial, quando a empresa insolvente e que foi adquirida em 2013, era a restruturação e reactivação da produção das antiga fábrica da ILMA. Neste sentido, o Grupo Nóbrega durante 8 meses desenvolveu vários estudos de forma a aferir o investimento necessário para a modernização da unidade industrial, garantir as matérias primas e respectivos subsídios sobre as mesmas, estudar capacidade produtiva de leite em natureza na Região e desenvolver um estudo económico de forma a assegurar a sustentabilidade do negócio. A redução do consumo de produtos lácteos e a dependência da grande distribuição para assegurar a capacidade produtiva necessária, foram determinante para concluir que o projeto não teria viabilidade. De relembrar que na altura do fecho da ILMA, toda a produção era feita através de leite em pó importado e a transformação de queijos e manteigas através de formatos industriais que eram posteriormente reembalados com as respectivas marcas.  Face ao exposto o Grupo Nóbrega começou a estudar a viabilidade de um projecto imobiliário no local e só posteriormente um projecto turístico, através do Grupo Four Views, de forma a revitalizar o imóvel e a zona onde se insere.
+A A -A