Ryanair investe 100 milhões de euros na compra e início de operação da congénere austríaca LaudaMotion

A companhia aérea Ryanair anunciou hoje que irá comprar por 50 milhões de euros 75% do capital da congénere austríaca LaudaMotion e investir mais 50 milhões para cobrir "custos de início de operação" no primeiro ano de atividade.

Em comunicado, a companhia de baixo custo irlandesa adianta ter chegado hoje a "acordo vinculativo" com Niki Lauda, antigo piloto de Fórmula 1 e detentor da operadora aérea austríaca, para apoiar o seu plano de desenvolver a LaudaMotion GmbH" como "uma companhia aérea de baixo custo austríaca de sucesso".

O negócio prevê a aquisição, "numa fase inicial", de 24,9% da LaudaMotion, "que deverá subir logo que seja possível para os 75%, sujeito a aprovação por parte das autoridades de concorrência da União Europeia".

A aquisição de 75% da LaudaMotion "será inferior a 50 milhões de euros", pretendendo a Ryanair "providenciar outros 50 milhões de euros no primeiro ano de forma a cobrir custos de início de operação".

O objetivo é que a companhia austríaca "obtenha lucro no terceiro ano de operações, "caso o plano de desenvolver a frota para pelo menos 30 Airbus venha a ter sucesso".

A LaudaMotion é detentora de um certificado de operador aéreo (AOC) austríaco, propriedade de Niki Lauda, que recentemente adquiriu vários dos ativos da antiga companhia aérea Niki, incluindo aeronaves A320. 

De acordo com a Ryanair, a LaudaMotion "irá brevemente iniciar uma série de operações regulares e 'charter' com origem na Alemanha, Áustria e Suíça, maioritariamente para destinos de lazer na zona do Mediterrâneo".

O acordo hoje estabelecido prevê que Niki Lauda "será o presidente do Conselho de Administração da companhia aérea e irá supervisionar a implementação" da estratégia de crescimento da operadora. 

Já a Ryanair "irá providenciar apoio financeiro e na gestão da LaudaMotion, bem como seis aeronaves em regime de 'wet-lease' (cedência de aeronaves com tripulação completa, manutenção e seguros) para a época de verão 2018", de modo a permitir à LaudaMotion ter 21 aeronaves em operação.

De acordo com a 'low cost' irlandesa, esta parceria "garante segurança nos postos de trabalho e oportunidades de carreira e crescimento no emprego disponível em todas as atividades da LaudaMotion, tais como tripulação de 'cockpit' e de cabine, manutenção e administração".

Citado no comunicado, o presidente do Conselho de Administração da Ryanair, Michael O'Leary, assume-se "desejoso por trabalhar em parceria com Niki Lauda para levar a bom porto a sua visão de desenvolver uma companhia aérea austríaca de baixo custo de sucesso, com serviços regulares e 'charter'".

"O AOC da LaudaMotion irá suportar uma frota de Airbus, algo que esperávamos desenvolver há alguns anos no Grupo Ryanair", refere, convicto que, "com acesso à frota e recursos financeiros da Ryanair, a LaudaMotion irá agora crescer mais rapidamente, com a ambição de competir num mercado dominado pelas tarifas altas da Lufthansa, através das suas subsidiárias suíça e austríaca". 

"Sempre defendi a concorrência e demonstrei a minha oposição a monopólios. Como tal, estou entusiasmado com o facto de, em parceria com a Ryanair, a LaudaMotion poder estabelecer-se como um concorrente forte e crescer rápida e sustentavelmente", afirma, por sua vez, o presidente do Conselho da LaudaMotion, Niki Lauda.

 

+A A -A