Grande companhia aérea africana vai operar voos domésticos em Moçambique

Uma grande companhia aérea africana deverá começar a realizar voos domésticos em Moçambique já a partir de abril, declarou hoje um responsável do setor do turismo em Moçambique, que se escusou a identificar a empresa em questão.  

"Com a entrada em Moçambique desta companhia aérea africana, uma das maiores em África e que tem mais de 100 aviões, haverá uma maior oferta de voos internos, baixando os preços pela metade", disse aos jornalistas Noor Momade, presidente da Associação dos Agentes de Viagens e Operadores turísticos de Moçambique (Avitum).

Noor Momade fez estas declarações à margem do Seminário de Promoção do Destino Moçambique, que decorreu hoje, em Lisboa.

"As operações desta companhia aérea devem começar em abril", declarou Momade, dizendo que ainda não pode identificar a companhia, mas é certo que vai operar em Moçambique.

Noor Momade disse ainda que o atual Governo conseguiu responder a vários problemas que existiam no setor do turismo, nomeadamente na questão da segurança, na abertura dos vistos e no transporte aéreo.

"O Presidente da República (Filipe Nyusi) engajou-se, chamou-nos, conversou connosco e perguntou por que o turismo não avançava e quando colocamos as questões, qual não foi a surpresa, passado um ano e pouco, resolveu-nos todos os problemas", referiu o presidente da Avitum.

Momade frisou que em "Moçambique, o turismo é um dos pilares que o Presidente determinou para a sua governação".

"Há ainda muito por fazer, nomeadamente nos setores de infraestrutura e de formação de pessoal, mas já fizemos grandes progressos", sublinhou Momade.

O presidente da Avitum declarou ainda que será em breve assinado com a Associação Portuguesa das Agências de Viagem e Turismo (Apavt) um protocolo de cooperação, para troca de experiências entre as duas instituições.

Durante o seminário, o ministro da Cultura e Turismo moçambicano, Silva Dunduro, disse que a paz efetiva em Moçambique é uma condição 'sine qua non' para alavancar a economia geral e, em particular, do turismo no país.

"Nós temos tudo para superar as dificuldades. Estamos agora num processo liderado pelo chefe de Estado para a paz efetiva em Moçambique. Os números indicam que este é o caminho", declarou Silva Dunduro.

"É seguro investir em Moçambique. Estamos num processo para a implementação da paz definitiva", disse, sublinhado que "as armas calar-se-ão de uma vez por todas".

O ministro e uma delegação moçambicana vieram a Portugal participar na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), que decorreu em Lisboa, até domingo.

+A A -A