Movimento de passageiros nos aeroportos de Cabo Verde cresce 19,6% em 2017

Mais de 2,6 milhões de passageiros passaram pelos aeroportos cabo-verdianos durante 2017, representando um aumento de 19,6% relativamente ao ano anterior, segundo o boletim estatístico da empresa de Aeroportos e Segurança Aérea (ASA). 

De acordo com o documento, disponível 'online', durante o ano de 2017, nos aeroportos de Cabo Verde movimentaram-se 2.649.231 passageiros, representando um crescimento na ordem dos 19,6%, em relação ao período homólogo. 

Do total de passageiros, quase 400 mil tiveram origem nos aeroportos portugueses de Lisboa e Porto, com a TAP Air Portugal a liderar a lista das operadoras nos aeroportos das ilhas de Santiago e São Vicente e o segundo lugar no aeroporto do Sal, o mais movimentado do país. 

O aumento de passageiros registou-se tanto no mercado internacional (mais 18,5%), como no doméstico (mais 21,6%).

O Aeroporto Internacional Amílcar Cabral, na ilha do Sal, por onde passaram 1.092.789 passageiros, registou um aumento de 20,9%, enquanto no Aeroporto Internacional Nelson Mandela, na cidade da Praia, o movimento de passageiros cresceu 26,7%, atingindo os 662.356 passageiros.

Os aeroportos internacionais Cesária Évora, na ilha de São Vicente, e Aristides Pereira, na ilha da Boavista, registaram aumentos de 21,3% (266.221 passageiros) e 10,3% (512.778 passageiros), respetivamente.

No Sal, o crescimento de passageiros está relacionado com aumento do trafego proveniente de Inglaterra (mais 37%), França (mais 47,9%) e Suécia (53,0%), segundo o relatório.

A TAP Air Portugal, que ocupa o segundo lugar na lista de companhias que operam no Sal, com uma quota de 10%, registou um aumento de passageiros na ordem dos 4,6% (mais 4 mil passageiros), face a 2016. 

O aeroporto de Lisboa lidera na origem dos passageiros registados no Sal, com 109.061 pessoas, número que representa, contudo, uma quebra de 10,6%, comparativamente com o mesmo período do ano anterior.

A Inglaterra continua a ser o país que mais turistas envia para o Sal, com o conjunto das suas principais cidades a somar 232.583 passageiros.

Lisboa foi também a principal cidade emissora de passageiros para o Aeroporto Internacional Cesária Évora, na ilha de São Vicente, sendo origem de 72,4% dos passageiros.

O boletim assinala o "significativo aumento do tráfego internacional" no aeroporto da Praia (mais 55.430 passageiros), justificado pelo desempenho das operadoras TACV (mais 20,2%) e TAP Air Portugal (mais 19,2%) para o destino Lisboa.

Destacada é ainda a entrada neste aeroporto, em junho, da operadora Sata Internacional, que terminou o ano com uma quota de mercado de 3,9%.

No aeroporto da capital cabo-verdiana, as operações no mercado internacional são lideradas pela TAP Air Portugal, com uma quota de mercado correspondente a 42,5% (mais 19,2%), seguida da TACV Cabo Verde Airlines, (41,0%), da Royal Air Maroc (7,7%), e da Transair (4,0%). 

No ano passado, registou-se também uma diminuição do número de companhias a operar no aeroporto da Praia, com a saída da TAAG Linhas Aéreas de Angola, da Binter Canárias e da Senegal Airlines.

A ASA assinala também a entrada da Binter Cabo Verde em exclusivo nas ligações entre ilhas.

"A Binter Cabo Verde, que obteve a exclusividade do mercado doméstico, encerrou o ano com uma quota de mercado de 61,4%, com 571.053 passageiros transportados", adianta o relatório. 

Os Transportes Aéreos de Cabo Verde (TACV), que suspenderam as ligações internas em agosto, terminaram o ano com uma quota de 36,6% e 340.362 passageiros transportados.

No mesmo período, registaram-se nos aeroportos de Cabo Verde 36.212 movimentos de aeronaves, um aumento de 6.003 movimentos (mais 19,9%), em relação ao mesmo período do ano anterior. 

O aeroporto do Sal continua a ser o que maior peso tem nos movimentos internacionais de aviões (52,4%), enquanto o da Praia detém o maior peso a nível doméstico (38,7%). 

Cabo Verde tem sete aeroportos, quatro deles internacionais, dois dos quais nas ilhas do Sal e Boavista, onde o mercado de aviação é maioritariamente turístico.

 

+A A -A