Operações nos aeroportos decorrem “dentro da normalidade” apesar de greve

A ANA - Aeroportos de Portugal informou hoje que as operações nos aeroportos do país “têm decorrido dentro da normalidade”, apesar da greve dos trabalhadores das empresas de segurança privada que fazem os procedimentos de controlo.

Em resposta escrita enviada esta noite à agência Lusa, fonte oficial da ANA reiterou a informação transmitida hoje de manhã, referindo que “as operações têm decorrido com normalidade”.

A Lusa contactou também o Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos (SITAVA), que convocou o protesto para exigir melhores condições laborais, mas ainda não foi possível obter um balanço.

Os trabalhadores da segurança privada dos aeroportos - das empresas Prosegur e Securitas – estão em greve hoje e no dia de Natal.

Em declarações à Lusa no sábado, o dirigente do SITAVA Paulo Alexandre indicou que o impacto da paralisação, que decorre até às 23:59 de segunda-feira nos aeroportos portugueses e poderá causar “atrasos nos voos e até cancelamentos”.

Paulo Alexandre afirmou à Lusa que a principal reivindicação é a assinatura do Contrato Coletivo de Trabalho para estas empresas, “que já deveria ter sido aceite” pela Associação de Empresas de Segurança (AES).

“O Governo fez uma proposta, visto que a AES não aceitou as condições propostas pelo SITAVA. O próprio Estado redigiu um contrato e tentou fazer com que a AES aceitasse o contrato. Da parte do SITAVA não houve problema, mas a AES continua intransigente em relação a isso e (…) vamos fazer a greve”, explicou o sindicalista.

Na resposta hoje enviada à Lusa, a ANA volta a lembrar os conselhos já dados aos passageiros, nomeadamente “chegarem com maior antecedência aos aeroportos e privilegiarem o transporte de bagagens no porão em detrimento da bagagem de mão”.

 

+A A -A