Governo quer Açores a servir de "emblema" do turismo sustentável em Portugal

A secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, considerou que os Açores devem funcionar como "emblema" do turismo sustentável em Portugal, asseverando que tal é "fundamental para o posicionamento internacional" do país nesta área.

Falando na Lagoa, ilha de São Miguel, na conferência "Açores 2017: No Rumo do Turismo Sustentável", Ana Mendes Godinho advogou que Portugal, "500 anos depois de ter descoberto o mundo", está "neste momento a ser descoberto por todos" e a ser "cada vez mais" um caso de estudo no setor do Turismo.

Nesse sentido, prosseguiu a governante, os Açores - que foram definidos por Ana Mendes Godinho como "a Nova Zelândia da Europa" - devem funcionar como "emblema" e "peça-chave" para o "turismo sustentável" que se pretende implementar em Portugal.

"Temos a ambição de ser o destino mais sustentável do mundo", declarou a titular da pasta do Turismo, elencando a sustentabilidade social, ambental e económica como peças dessa estratégia.

Na mesma conferência, mas falando ao começo da manhã, o presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, anunciou que a região vai avançar com o processo de certificação do arquipélago como destino sustentável, salientando que "nenhum arquipélago" tem aquele reconhecimento.

"Vamos arrancar com o processo de certificação dos Açores como destino sustentável de acordo com os critérios do Global Sustainable Tourism Council, organização não governamental que integra diversas entidades das Nações Unidas", afirmou Vasco Cordeiro que falava na Lagoa, ilha de São Miguel, na abertura da "Conferência Açores 2017: No Rumo do Turismo Sustentável".

Vasco Cordeiro sublinhou que a certificação dos Açores pelo Conselho Global que estabelece padrões e critérios globais sustentáveis "é um bom objetivo, uma boa aposta e é sobretudo um bom desafio que deve mobilizar todos" na região.

O presidente do Global Sustainable Tourism Council, Luigi Cabrini, realçou as potencialidades dos Açores, classificando o arquipélago como "um sitio único", mas lembrou que a sustentabilidade envolve todos os agentes do turismo, desde os taxistas até aos proprietários dos hotéis.

Salientou também o potencial natureza do arquipélago, as suas fábricas de chá, na ilha de São Miguel, as tradições do arquipélago, as belezas naturais e as qualidades para a prática do mergulho.

Christopher Imbsen, da Organização Mundial do Turismo, considerou, em declarações aos jornalistas, que os Açores "têm boas hipóteses de serem os próximos destinos sustentáveis", mas alertou para os desafios que se colocam à região tendo em conta o rápido crescimento no setor turístico.

A conferência, que termina hoje, é promovida pela secretaria regional da Energia, Ambiente e Turismo, no âmbito da celebração do Ano Internacional do Turismo Sustentável para o Desenvolvimento promovido pelas Nações Unidas. 

Durante a conferência será assinada uma cartilha de sustentabilidade em que a Câmara Municipal da Lagoa se propõe assumir o compromisso de internalizar os objetivos do desenvolvimento sustentável nos serviços da autarquia e concertar estratégias que promovam a imagem do concelho enquanto destino turístico de sustentabilidade na região Açores.

+A A -A