Portugueses apontam vacinas e aeroportos distantes como obstáculos às viagens

O motor de pesquisa Jetcost revela o que penaliza um destino

Ter de vacinar-se com semanas de antecedência e o medo que causa poder contagiar-se com certas doenças, a taxa de câmbio ou levar mais de 45 minutos para chegar ao hotel do aeroporto são algumas das razões que o motor de busca de voos e hotéis, www.jetcost.pt, revela como as mais que suficientes para que muitos portugueses decidam não viajar para determinados destinos, além das opiniões negativas de outros viajantes e/ou inclusive, os avisos de insegurança na área de destino.

A Jetcost fez uma sondagem sobre as experiências dos europeus durante as suas férias. O estudo foi feito a 3.000 pessoas (500 de cada nacionalidade: ingleses, espanhóis, italianos, alemães, portugueses e franceses) maiores de 18 anos e que tenham viajado pelo menos uma vez nos últimos dois anos.

Inicialmente a todos os inquiridos perguntou-se quantos destinos olharam, fosse online ou em folhetos, antes de se decidir por um em concreto onde ir e após ter compilado todas as respostas, a média foi de 9 destinos. A seguir, foi perguntado a todos os participantes que critérios usaram para reduzir a lista inicial até chegar ao destino final. As respostas mais comuns foram: "há uma série de coisas que não quero num destino" (43%) e "peço opinião a familiares e amigos que foram anteriormente ou conhecem alguém que já lá tenha estado" (36%).

Ao querer aprofundar um pouco mais, o motor de pesquisa perguntou a todos os entrevistados sobre os factores mais importantes que estiveram na origem da eliminação da lista inicial, sendo estas as respostas mais comuns:

1. Um país que obrigue a vacinar antes da viagem (54%).
2. Aeroportos a mais de 45 minutos do destino final (43%).
3. Taxa de câmbio (37%).
4. Comentários ou críticas negativas de pessoas que já tenham ido ao destino escolhido (33%).
5. Avisos de segurança na zona (31%)

De acordo com a sondagem, todos aqueles que não gostaram da ideia de ter que se vacinar para chegar a um destino, perguntou-se por que isso seria uma razão suficiente para descartar viajar para lá, as principais respostas foram: "se é necessário/obrigatório vacinar-se pois existe a possibilidade de contrair uma doença" (43%), "não querer ser vacinados muito antes da viagem" (32%) e "eu tenho medo das agulhas" (21%). 

"As vacinas podem ser assustadoras para alguns, mas são fundamentais para a nossa saúde e bem-estar, se viajar para determinados países. Estar vacinado não quer dizer que vai ser picado por algum bicho ou que possa contrair alguma doença, é simplesmente para proteção e precaução contra certas doenças. Além disso, depois de vacinado, fica-se normalmente imune por um período que varia de seis meses a dez anos, deixando-nos livres para desfrutar de mais viagens a lugares exóticos. A necessidade de vacinar-se não deve ser a razão para que não se viaje a algum país, pois com isso pode perder experiências fantásticas, no caso de isso ser a principal razão para não viajar.", refere um porta-voz da Jetcost.

+A A -A