Sector aéreo baixa este ano lucros em 2,3% para 29 mil milhões de euros

O sector da aviação ganhará este ano 34,5 mil milhões de dólares (cerca de 29 mil milhões de euros), uma redução de 2,3% em relação a 2016, esperando-se, porém, para 2018 que o lucro suba 11,3%, segundo o relatório da IATA.

Nas previsões económicas apresentadas hoje pela Associação Internacional do Transporte Aéreo (IATA) regista-se um resultado pior este ano, mas ainda assim mais positivo que o avançado em junho.

Uma forte procura, a eficiência da indústria aérea e juros mais reduzidos “ajudarão as companhias aéreas a melhorar os seus resultados líquidos em 2018, apesar dos custos crescentes”, perspetiva a IATA, que indica que os lucros no setor atinjam no próximo ano os 38,4 mil milhões de dólares (32 mil milhões de euros).

Quanto ao número de passageiros transportados, a evolução será de 3,800 mil milhões de 2016 para 4,100 mil milhões em 2017. Para 2018, a IATA prevê uma subida de 6% até aos 4,300 mil milhões.

O resultado líquido médio por passageiro transportado deverá ser de 8,90 dólares (7,5 euros) no próximo ano, enquanto em 2017 foi de 8,45 dólares (7,1 euros). Em 2016 esse valor foi de 9,26 (7,8 euros).

O relatório notou ainda a subida no transporte de mercadorias.

O diretor geral da IATA, Alexandre de Juniac, comentou serem “bons tempos” para a indústria aérea global, uma vez que a segurança “é sólida e há mais pessoas do que nunca” a viajar com as companhias aéreas, que abrem mais rotas e registam lucros sustentáveis.

O responsável não deixou de advertir que este é um “negócio difícil e o setor enfrenta desafios quanto a gastos, face aos aumentos dos gastos com combustíveis, laborais e com infraestruturas”.

+A A -A