Turismo do Norte defende criação de praias naturistas e nega destino "conservador"

O presidente da Turismo do Porto e Norte de Portugal defendeu hoje a criação de praias naturistas legalizadas na região, fazendo a apologia da formação de associações e negando que este seja um destino conservador.

"Defendo claramente que haja praias legalizadas no Norte de Portugal e que as associações se unam para fazer esse trabalho, porque são públicos muito interessantes e importantes para a promoção do nosso território", declarou Melchior Moreira, em entrevista à agência Lusa no âmbito da inexistência de praias naturistas legalizadas na região.

Uma das razões que a Federação Portuguesa de Naturismo aponta para o facto de não haver um areal legalizado para a prática de naturismo, e apenas haver uma praia -- Estela - onde é tolerado fazer nudismo, é o facto de a região ser conservadora e tradicional.

O presidente da Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP) nega que a região seja um "destino conservador".

"Não somos um destino conservador, muito pelo contrário. Temos revelado ser uma região muito aberta à evolução social e religiosa. Temos todas as condições para receber, da melhor forma, novas opções turísticas e nichos de mercado", sustentou aquele responsável.

Na região Norte de Portugal o único espaço onde é tolerado o "uso e costume naturista (práticas de vida em que é utilizado o nudismo), é a Praia da Estela, no concelho da Póvoa de Varzim, distrito do Porto.

 

+A A -A